Passeio no Elephant Sanctuary, em Hartbeespoort dam (África do Sul)

14

A África do Sul foi um divisor de águas na minha vida em relação á viagens. A quantidade de experiências incríveis que tive nesses 20 dias lá valeu por uma vida inteira.

Hoje vou falar sobre a nossa visita ao “Elephant Sanctuary”, um parque onde eles cuidam de elefantes que são capturados de lugares que os exploram e fazem maus tratos, é como um centro de reabilitação e que usa esse tour como fonte de renda para poder continuar tratando desses animais.

Eles chegam machucados, muitas vezes sem suas presas de marfim (traficantes de marfim arrancam e os machucam, milhares morrem todos os anos por causa disso) e passam por todo um processo de reabilitação. Esses animais machucados dificilmente teriam chance de sobreviver na natureza.

No mesmo lugar que tem o “Elephant Sanctuary” também funciona o “Monkey Sanctuary”, que é um passeio onde você interage com diversos tipos de macacos, nós só tínhamos tempo para escolher 1 passeio e optamos pelos elefantes.

Minha cunhada foi no tour dos macacos e adorou, achou bem divertido, fica a dica para ir ao parque na parte da manhã e tentar fazer os dois (fomos no ultimo horário da tarde).

Existem três “Elephant Sanctuary” na Africa do Sul, fomos no de Hartbeespoortdam (próximo à Johannesburgo), há um em Plettenberg Bay (na Garden Route próximo à Port Elizabeth) e outro em Hazyview (no norte do país, próximo ao Kruger Park).


Hospedagens em oferta em Joanesburgo


Para chegar lá é indispensável ir de carro e encarar as rodovias na mão inglesa (todo o percurso foi bem tranquilo).

Esqueça o turismo tipo “zoológico”, aqui o negocio é diferente. Primeiro o guia dá uma aula sobre a estrutura dos elefantes e mostra alguns ossos, também fala sobre a caça ilegal, e a população de elefantes que ainda existe na África e está constantemente sob ameaça.

O guia também explica a quantidade exorbitante de água e comida que são necessárias para mantê-los saudáveis diariamente. E nos convida a alimentarmos um deles com uma porção do que acredito ser uma espécie de ração.

É muito legal dar essa comida e ver ele pegando gentilmente pela trompa. É um animal tão grande e ao mesmo tempo tão manso, tão delicado.

Após a alimentação, caminhamos para outra área do parque onde há outra breve aula sobre o comportamento dos elefantes e o guia vai chamando o publico por duplas para poder toca-los e fazer carinho nos elefantes.

Ele vai explicando como é diferente a textura da pele em cada ponto, a orelha parece um veludo é muito macia, a pele nas costas é mais dura e os pelos no rabo parecem arame. Nosso contato foi com o fofíssimo “Amarula” (sim, esse é o nome dele).

É uma experiência única poder ter esse contato com um elefante, coisa que eu jamais imaginava que um dia iria fazer e nem pensava que seria tão legal, uma das melhores partes de toda a viagem.


Seguro viagem para África do Sul pelo menor preço!


O passeio todo tem diversas explicações, eles se preocupam em ser mais do que um parque pra ir lá apenas pegar nos elefantes, eles te envolvem na história e no drama que a espécie passa por causa da caça ilegal.

O trabalho que eles fazem na reabilitação desses elefantes é sensacional e o tour é necessário para arrecadar fundos para poder manter toda essa estrutura.

 

E para finalizar o tour, quem quiser, pode fazer uma pequena caminhada junto com o elefante, segurando a sua tromba. Eu adorei ter mais essa forma de contato. Nessa parte o pessoal já está um pouco cansado e a metade acabou não fazendo.

Quem paga um ingresso que é o dobro do preço o no final também pode andar em cima do elefante. Achei essa parte extremamente cara e totalmente desnecessária. Só 2 pessoas fizeram num grupo de 30.

Depois de todo esse passeio, fomos ao estacionamento pegar o carro alugado para ir embora e eis que a bateria arriou!!!

Como era um carro diferente acabamos deixando alguma coisa ligada (lanterna ou o rádio). A cara de pânico de todos era bem tensa, pois estávamos há mais de 200 km da casa em Centurion (cidade pequena perto de Pretória).

E lá meu marido falar na recepção do parque tentar explicar em inglês que precisava fazer uma “chupeta” no carro. Mas o inglês do Leo é tão bom, que logo veio um cara com o equipamento para fazer a “chupeta” e salvou a nossa volta para a casa! Viagem boa é com perrengue, cheia de emoção! rs

Recomendo muito à vista ao Elephant Sanctuary! Um dos melhores passeios que você vai fazer quando for à África do Sul! <3

The Elephant Sanctuary Hartbeespoort dam

  • Ingresso: Adultos R695,00 (aproximadamente R$ 160,00) Crianças R295,00 (aproximadamente R$ 70,00)
  • Horários dos tours: 08h00, 10h00 and 14h00
  • Duração: 2 horas
  • Endereço: R104, Hartebeespoort
  • Site: http://www.elephantsanctuary.co.za/
No meio do caminho, tinha um macaco
Foto linda de família no jardim de entrada do parque

Hartbeespoort dam

Um ultimo adendo, o parque fica na cidade de Hartbeespoort dam, antes de ir não tinha lido nada a respeito da cidade, mas é um lugar maravilhoso um oásis no meio da savana. A cidade abriga uma represa e é linda!

Ofertas de hospedagem em Hartbeespoort dam

Numa próxima oportunidade de visitar o país ficaria mais tempo lá. Tem até bondinho pra ver a paisagem! Passamos rápido pela ponte e o portal da entrada da cidade (que mais parecem cenários de “O Senhor dos Anéis”) e não estávamos preparados para aquela paisagem, por isso não consegui tirar nenhuma foto boa. Incluam essa cidade no roteiro de vocês!

 

Seguem fotos lindas do google imagens:

Créditos da imagem aqui
Créditos da imagem aqui
Créditos da imagem aqui

Salvar

Use a imagem abaixo para salvar esse post no Pinterest

Encontre mais informações para a sua viagem para a África do Sul aqui

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

14 comentários

  1. Gente, eu não fazia ideia que existia isso de traficante de marfim, que tristeza! 🙁 Também acho tão desnecessário andar em cima dos elefantes, o passeio e contato assim como você fez parece muito legal e saudável.

  2. Amo elefantes! <3
    Conheço os asiáticos só, que são menores e não tem marfim.
    É uma pena saber que existe esse esquema de tráfico e maus tratos, né?
    Vc não pode deixar de fazer isso quando for pra Tailândia. Se gostou desse, vai amar lá! (se prepare para a lama).

  3. Que demais alimentar um elefante, Juny.. acho que eu iria chorar de emoção. Como a Kat disse, achei o jeito do passeio que você fez bom e mais saudável, essa parte de ficar subindo nos bichos é totalmente desnecessário mesmo.
    Um dia ainda realizo esse sonho de ir pra África do Sul, seus posts me deixam mais doidinha ainda pra ir lá.. haha
    beijos!

  4. QUE LINDOOOS!! Com certeza também teria escolhido o santuário dos elefantes, tenho fobia de macaco kkk. Gostei de saber que não é só exibição dos animais, que além do cuidado também há a tentativa de conscientização dos turistas. Que trabalho importante! E parabéns por não ter montado nele, também acho desnecessário. Beijos!!

  5. Uau, que experiência maravilhosa essa que você teve, mas ao mesmo tempo fico triste com a história desdes elefantes que tiveram este fim por causa da maldade do homem. Apesar de ser contra a qualquer entretenimento com animais, acho que se a proposta do santuário é de apenas arrecadar dinheiro para manter os gastos, acho válido uma visita. E que fofo aquele macaquinho que você encontrou. Sonho em conher a África 🙂 Beijos

  6. Triste que tenha que existir lugares assim por causa da ganância de muitos, mas gostei muito do trabalho que eles fazem, menos a parte de andar em cima deles, achei que não têm necessidade, mas ainda assim é uma passeio que desperta muita conscientização, além da experiência única.

  7. É muito emocionante estar perto da natureza e de bichos e esses gigantes impressionam mais ainda, não é? Já tinha lido sobre esses centros, existem para várias espécies, mas não sei exatamente onde são. Pelo menos agora sei dos elefantes, obrigada!

  8. sei bem como é a sensação de visitar um parque assim! fui no Elephant Natue Park em Chiang Mai na Tailândia que tem as mesmas ideias de conservação e preservação dos animais. Lá vi muitos elefantes machucados, cegos, com as bacias quebradas devido a reprodução forçada…é bem triste, dá pra ver que os mais novos, recém chegados possuem olhares tristes..porém o trabalho é recompensado quando aparece uns bebês faceiros por lá ahueahea ai sim dá pra ver os animais felizes com a nova casa

  9. Olá Juny! Estou indo pra África do Sul em setembro, tem alguma maneira de ira até o santuário sem ser dirigindo? alguma agência que faça o tour? Obrigada!

    • Karina, procurei por agencia que fizesse esse tour e não achei.
      Se vc for fazer a Garden Route, tem outra filial no mesmo santuario em Plettenberg Bay (proximo á Knysna), talvez lá tenha um acesso mais fácil, é uma cidade menor.

Deixe um comentário