Cachoeirismo: aventura de rapel na cachoeira Santa Eulália em Brotas-SP!

1

Conforme temos melhorado a nossa condição física, que o Leo comentou nesse post, temos buscado mais atividades de aventura: trilhas, mergulho, corridas, etc.

Na minha lista das “30 coisas para fazer antes dos 30” um dos itens era “Fazer Rafting”, que ainda não estava concluído.

Dia 19 de janeiro foi o meu aniversário de 30 anos e para comemorar o Leo preparou como surpresa um fim de semana em Brotas-SP para fazermos rafting e rapel (cachoeirismo)!

Nunca pensei em fazer rapel, mas o desafio foi aceito! Fomos com um grupo de amigos, o que ajudou a criar coragem para a aventura.

Informações

O cachoeirismo ou cascading, consiste em um rapel onde há a  força da água (cachoeira) deixando a descida mais emocionante, mais radical.

Fizemos a reserva do passeio com a agencia Ecoação, como estávamos em grupo conseguimos um desconto e o passeio saiu por R$ 89,00 por pessoa.

O passeio é feito por uma empresa terceirizada, não pela própria agencia, por isso requer pagamento antecipado para a reserva.

O ponto de encontro para essa aventura é o Viva Brotas, um complexo de ecoturismo onde é possível fazer diversas atividades: trilhas, tirolesa, queda livre, rafting, etc.

Recomendações

Para essa aventura é imprescindível protetor solar, pois você estará bem exposto ao sol. Em relação a roupas optei por uma calça de academia e uma blusa de corrida (maga longa) com proteção UV fator 50.  Os meninos foram todos de short e camisa dry fit.

É importante usar uma roupa com secagem rápida e um tênis que possa molhar e sujar, pois durante a trilha na volta tem muito barro.

Também não se esqueça do repelente e em época de perigo de febre amarela é bom estar vacinado, pois a trilha é feita na mata.

A aventura

Quando estávamos quase chegando, o Leo, que organizou todo o passeio, estava com medo, querendo desistir! rs Ele tem medo de altura e começou a ficar tenso com o que iríamos fazer.

Para não ficar com medo a minha tática é não pensar em nada, simplesmente ir e deixar rolar. Mas quando começamos a colocar os equipamentos, confesso que deu um medinho, porque começou a cair a ficha sobre o que iríamos fazer.

Para ir ao lugar onde seria feito o rapel, pegamos um ônibus. Chegando lá o Ludo, o instrutor, começou a explicar sobre os equipamentos, como fazer o controle da corda, os movimentos, etc.

A cachoeira escolhida foi a Santa Eulália, que tem 47m de altura, boa para iniciantes, pois existem outras bem maiores na região.

Mas antes de fazer a descida, havia  um lugar para fazer um treinamento, um barranco alto, antes da cachoeira.

E o escolhido para iniciar foi justamente o Leo! rs O que foi muito bom porque ele estava com a Gopro no capacete e descendo primeiro poderia filmar e tirar foto de todos.

A segunda a fazer a descida fui eu. Nessa hora bateu o medo de verdade. Porque ai começa a ação e o rapel é uma atividade individual, só depende de você.

É claro que tem alguém controlando a corda em cima e embaixo, em uma emergência você pode pedir ajuda, tem toda uma segurança.

Na descida treino eu fiquei com tanto medo, que quando chegou na descida de verdade, o medo já tinha passado! rs

Foi muito bom poder treinar antes da ação, ajuda no aprendizado do controle da corda e na confiança para fazer a descida da cachoeira.

Tem uma fotografa que tira várias fotos durante o passeio, que você pode comprar depois. Olha ai a serenidade no olhar de quem esta sorrindo diva para a foto, tentando esconder o medo! rs

Durante a descida o mais importante é controlar a corda e manter os pés esticados, pisando por completo nas pedras, bem firme, para não escorregar.

Porém como eu sou muito baixinha, na parte onde pega bem a água da cachoeira, ficou caindo direto na minha cara, dificultando um pouco para enxergar onde pisar.

Numa dessas escorreguei os dois pés e tive um momento onde tive que me concentrar muito para a corda não balançar (e bater com a cara nas pedras) e conseguir me posicionar novamente sem perder o controle. Deu certo!

E depois disso perdi todo o medo do rapel pois vi que além de ser uma atividade segura e possível, consegui lidar com um momento de adversidade.

Você vai descendo até que chega num ponto onde pedem para você soltar a corda e você desce direto, como se fosse uma tirolesa, só que um pouco mais devagar.

E lá embaixo foi só alegria! Desafio superado, banho na cachoeira e muitas fotos para comemorar a aventura.

Depois que todos finalizaram a descida, o instrutor, Ludo, desceu de frente, rápido e pulando pela cachoeira, sensacional!

Para voltar à base do Viva Brotas fizemos uma trilha bem legal, bem “pé na terra”, roots, passa por trechos onde atravessamos partes do rio inclusive, pulando pelas pedras.

E depois dessa aventura fomos almoçar porque a tarde ainda tinha rafting! Mas isso será assunto para outro post.

Adorei fazer rapel, é um esporte que quero levar adiante e fazer de outras formas em outros lugares, estou inclusive vendo uma opção para fazer na próxima vez um rapel urbano num prédio abandonado, se tudo der certo volto aqui contar como foi.

A sensação de liberdade e a felicidade por cumprir o desafio, não tem preço! Deixe o medo de lado e se permita viver uma aventura como essa.


Ecoação

  • Endereço: Av. Mario Pinotti 205 – Centro Brotas / SP
  • Telefone: 14) 3141-0068 / (11) 3090-9406 / (14) 99109-6466 whatsapp
  • Site: http://www.ecoacao.com.br/

Viva Brotas

  • Endereço: Rodovia BRO 50(2km de terra) a 15 min. do centro de Brotas
  • Telefone: (14) 99167-3343 / (14) 3141-0073
  • Site: http://vivabrotas.com.br/


Salve esse post no Pinterest:

1 comentário

Deixe um comentário